É de extrema importância seguir um cronograma elaborado para poder atender eficientemente os prazos, programação de compras, controle do financeiro, contratos de mão de obra e também prevenir possíveis conflitos nas atividades. Dessa forma, as grandes obras sempre contam com equipes especializadas de engenheiros de planejamento para controlar a execução e desempenho de toda a construção.

Hoje trouxemos dicas de como elaborar um bom cronograma de obras, de forma que ele possa ser aplicado tanto em pequenas reformas como em grandes construções. Confira!

 

1. Definindo as atividades do cronograma de obras

Nessa primeira etapa, vamos construir uma Estrutura Analítica do Projeto (EAP), que é basicamente uma listagem de cada uma das atividades necessárias para a entrega da obra.

Quando tratamos de “atividades”, é importante compreender que aqui essa palavra tem o conceito de pacote de tarefas que irá utilizar os mesmos tipos de insumos e serviços. Não existe exatamente uma regra para isso, então, você pode simplificar estas tarefas (tratando, por exemplo, uma atividade como “Fundações”) ou mesmo detalhando-as (“Armação de Estacas”, “Perfuração de Estacas”, etc.). O ideal mesmo é poder dividir os itens de forma que facilite seu controle.

Não precisa se preocupar com a relação do que virá antes ou depois, aqui é mais importante garantir que a lista seja feita de forma completa.

 

2. Dê uma sequência ativa

Assim que suas atividades necessárias estiverem listadas para a conclusão da obra, é necessário que você defina a relação entre as atividades, ou seja, qual delas irá ocorrer depois de outra. Essa determinação de dependência é muito importante e exige bons conhecimentos técnicos do processo. Por exemplo, é necessário ter a estrutura do prédio desformada para poder dar início à alvenaria.

Nesse ponto, será preciso indicar quais as precedências de cada item da EAP. Considere nesse processo os seguintes passos:

  • Ligações finish-to-start quando a etapa se inicia após o término da outra;
  • Ligações start-to-start quando duas etapas deverão se iniciar ao mesmo tempo;
  • Ligações finish-to-finish quando duas etapas deverão encerrar ao mesmo tempo;
  • Aplicação de antecipação e atraso (lags) — quando etapas ocorrem após certo tempo como, por exemplo, remoção das escoras da estrutura, que costumam ocorrer após 28 dias depois da concretagem.

 

3. Estipule o tempo de cada atividade

Para esse passo será necessário criar as primeiras expectativas de duração para cada etapa. Dizemos que são as primeiras, pois, normalmente com o andamento da obra, será necessário fazer ajustes nestas datas para que o projeto possa ter a exata duração necessária.

É possível fazer a estimativa das durações de três formas:

 

4.1 Estimativas análogas

Se em uma obra com características semelhantes o revestimento teve duração de dois meses, logo pode-se adotar o mesmo tempo para a obra atual;

 

4.2 Estimativas paramétricas

O acabamento do piso em uma área de 100 m² foi feito em cinco dias, assim, em uma nova área de 60 m², pode-se adotar três dias.

 

4.3 Opinião especializada

Consulta-se um engenheiro de fundações e ele estima que o tempo de execução para as sapatas será de 20 dias úteis para a conclusão.

 

4. Desenvolvimento do cronograma

Com base na EAP e nas dicas acima citadas, você terá condições de montar seu cronograma de obras.

Para esse último passo, todos os profissionais de planejamento fazem uso de ferramentas específicas para o desenvolvimento dos cronogramas como Primavera, MS Project, OpenProj, Excel, entre outros, pois eles ajudam a demonstrar graficamente a sequência de cada atividade do projeto. Seja qual for sua escolha de software, para montar o cronograma você precisará dos produtos citados acima.

Depois de inseridos os dados no programa, ele lhe fornecerá a primeira versão do cronograma de obras. Mas, como já vimos, possivelmente ele precisará de ajustes. Após os ajustes e definição da versão final do cronograma, será possível obter a baseline, ou seja, o cronograma de referência para o desenvolvimento da obra.

 


 

 

Com estas dicas você será capaz de criar um cronograma de obras perfeito, sem surpresas ou inconvenientes. E aí? Curtiram o post de hoje? Deixe seu comentário com opiniões e sugestões a respeito desse ou matérias que você gostaria de ver por aqui.